NOTÍCIAS

10/03/2020

O que a Globo não contou sobre o brutal crime cometido pela travesti Suzy?

Resultado de imagem para susy

Na reportagem, Suzy de Oliveira afirmou que havia oito anos que não recebia visitas, que trabalhava na prisão e estava separada do marido. Após a sua história ter sido contada, a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informou que até a última sexta-feira (06) a Penitenciária José Parada Neto, em Guarulhos, onde a presa Suzy está recolhida, recebeu 16 livros, duas bíblias, maquiagens, chocolate, envelopes, canetas e centenas de cartas, algumas delas de grupos religiosos. Todo material estava endereçado para Susy. Além disso, a vaquinha criada pela advogada Camila Ribeiro, com o objetivo de ajudar a transexual, ganhou força e conseguiu recolher pouco mais de R$ 6 mil.

Depois de sua história ganhar repercussão, Suzy decidiu não conceder mais entrevistas. A rede Globo, até o momento, não se pronunciou sobre a reportagem ou omissão cometida no caso de Suzy.