NOTÍCIAS

07/05/2020

TRF4 mantém condenação de Lula a 17 anos de prisão no caso do sítio de Atibaia

Juiz nega pedido de Lula e no probe faixas ofensivas bancadas

    O desembargador João Pedro Gebran Neto afirmou, no início da sessão, que a defesa de Lula tentou adiar o julgamento, e que um dos motivos alegados era a apuração do inquérito do STF envolvendo o ex-juiz Sergio Moro.

    "Informo que na noite de ontem foi protocolada petição pela defesa do embargante Luiz Inácio Lula da Silva, novamente opondo-se ao julgamento virtual e requerendo o adiamento para uma sessão presencial futura, até mesmo para que se aguarde a apuração dos últimos episódios envolvendo a demissão do ex-ministro Sergio Fernando Moro. Considerado que já há pedidos nesse sentido, tanto com relação à oposição na sessão virtual, quando ao adiamento do julgamento para diligência, mas sob outra ótica, informo que incorporei fundamentos no Voto Preliminar em que se discute essas questões prejudiciais", destaca o desembargador João Pedro Gebran Neto, num trecho do extrato da ata da sessão virtual.

    Fonte: Zero Hora

    Leia também !