NOTÍCIAS

11/06/2020

Por que pressionar seu deputado e senador pode ajudar a manter o valor original do auxílio emergencial

O ministro da Economia Paulo Guedes confirmou que o Governo Federal vai pagar mais duas parcelas do auxílio emergencial (vulgarmente conhecido como ?coronavoucher?), só não disse se os valores serão mantidos ou se haverá uma redução.

O presidente Jair Bolsonaro já afirmava desde o fim de maio os planos de prorrogar o benefício de uma a três parcelas desde que o valor total não ultrapassasse R$600 (ou R$1200 para mães solteiras).

Proposta do Congresso

"O Parlamento está disposto a sentar e dialogar. Essa proposta partiu da Câmara dos Deputados, e vamos discutir condições de manter essa renda aos mais vulneráveis", disse Rodrigo Maia. Os cortes seriam feitos apenas daqueles que tem salários maiores e que não sejam da área da Saúde.

Pressão popular

Ligue, mande e-mail, procure-os pelas redes sociais. Faça sua voz de eleitor valer. Milhões de pessoas precisam deste auxílio emergencial. Todos precisam fazer sua parte.