NOTÍCIAS

11/06/2020

Dúvidas de português: quando usar "por que", "porque", "porquê" ou "por quê"?

Quando for uma pergunta é separado, quando for uma afirmação? Calma lá, se você pretendia usar esse velho macete vamos logo avisando que ele não funciona tão bem assim. Para entender o porquê, é preciso retomar as classes de palavras e um pouquinho de sintaxe ? o estudo da função das palavras em uma oração e como elas interagem entre si. Vamos lá?

Por que

No primeiro caso, ele assume o significado de "por qual motivo" ou "por qual razão" e pode ser aplicado tanto em frases interrogativas quanto afirmativas. Veja:

  • Por que ainda não retornaram meus e-mails?

(Por qual motivo ainda não retornaram meus e-mails?)

  • Você deveria saber por que isso costuma demorar.

(Você deveria saber por qual motivo isso costuma demorar.)

Já no segundo caso, quando o que é um pronome relativo, o "por que" passa a significar "pelo/pela qual":

  • Aquela rua por que passamos abriga a melhor sorveteria da cidade.

(Aquela rua pela qual passamos abriga a melhor sorveteria da cidade.)

Por quê

Também é resultado do por (preposição) + que (pronome interrogativo) e por isso também significa "por qual motivo". A única diferença é que o por quê acentuado só aparece no final de frases interrogativas.

  • Se a documentação já foi enviada, você está nervoso por quê?

Porque

O porque, junto, é uma conjunção (palavra que liga dois termos ou duas orações que têm a mesma função sintática em uma frase). Como se trata de uma conjunção causal ou explicativa, para saber se o porque de uma frase é ou não junto tente substituí-lo por "pois" ou "uma vez que".

  • Não foi à festa porque teria prova no dia seguinte.

(Não foi à festa pois teria prova no dia seguinte.)

Porquê

O porquê, junto e acentuado, vem sempre precedido por um artigo definido ou indefinido e, por isso, passa a funcionar como um substantivo. Significa razão ou motivo.

  • Ninguém me disse o porquê da reunião.

(Ninguém me disse o motivo da reunião.)