NOTÍCIAS

28/06/2020

Indiciado por corrupção na gestão Dilma ganha cargo no Governo Bolsonaro

Indiciado por corrupção na gestão Dilma ganha cargo no Governo Bolsonaro

Enquanto o povo aguardava o vídeo da reunião, o Planalto aproveitou para nomear um investigado do governo Dilma

Enquanto o povo aguardava ansiosamente a divulgação da reunião ministerial do dia 22, o Planalto publicou uma edição extra do Diário Oficial da União em que nomeia Ênio Soares Dias para cargo na ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres).

Em novembro de 2012, Ênio estava sendo investigado pela Polícia Federal por suspeita de participar de um esquema de corrupção no governo Dilma Rousseff. Após ser indiciado, foi exonerado do cargo de chefe de gabinete da ANTAQ (Agência Nacional de Transportes Aquaviários).

A Operação Porto Seguro foi deflagrada pela PF, realizando buscas em órgãos federais no Estado de São Paulo e em Brasília para desarticular uma organização criminosa que agia para conseguir pareceres técnicos fraudulentos com o objetivo de beneficiar interesses privados.

O inquérito foi iniciado em março de 2011, quando Cyonil da Cunha Borges de Faria Jr., auditor do Tribunal de Contas da União (TCU), procurou a PF dizendo ter aceitado R$ 300 mil para fazer um relatório favorável à Tecondi, empresa de contêineres que opera em Santos (SP).

Em março de 2019, o Ministério Público Federal em São Paulo pediu a devolução e aplicação de multas que totalizam R$ 38 milhões aos investigados da Operação Porto Seguro, incluindo Ênio Soares Dias, que mesmo assim ganhou uma boquinha no governo Bolsonaro